Marcos Reis gosta de dizer que se adapta a qualquer lugar. Há mais de dez anos morando em São Paulo, o ator nasceu e foi criado em Florianópolis (SC). Carrega com ele a lembrança da infância entre as praias do litoral e as férias no sítio da família, no interior do estado do sul do país. “Não sinto falta de casa, sabe por quê? Porque saí de lá para buscar meu sonho. Meu ofício, estar em cena, é estar em casa. Realizar meu trabalho é nunca me sentir sozinho”, diz ele que também passou uma temporada no Rio de Janeiro. “Foi um período que chamo de perfeição”, brinca. “Trabalhava perto da natureza, das praias, o que preenchia meu espaço em tempo integral”, completa.

Essa versatilidade faz de Marcos um ator que respira novidades e que está em constante busca por desafios. Ele começou a fazer teatro amador ainda em Florianópolis, aos 18 anos, graduou-se em Comunicação Social e se formou em Artes Cênicas pela Escola Livre de Teatro, onde fundou o grupo Teatro da Terra. Logo em uma de suas primeiras peças profissionais, ganhou o prêmio de Melhor Ator no Festival Sumaré/São Paulo, em 2010, com a peça “Curral”, inspirada na obra “Asfalto Selvagem”, de Nelson Rodrigues (1912 – 1980). “Sempre gostei de artes. Quando me dei conta, já estava inserido nesse meio”, diz ele, que também se destacou com “Pequenos Holocaustos”, inspirada em obra de Nelson Rodrigues, e “Simples Cidade”, inspirada em poemas do escritor modernista Guilherme de Almeida (1890 – 1969).

Mais novo de três irmãos, de pai empresário e mãe professora do ensino público, Marcos aprendeu em casa a gostar de artes. “Meu pai gosta de música, de piano, cresci vendo essa sua relação com diferentes instrumentos. Minha mãe sempre se envolveu com artes plásticas, adorava pintar quadros”, recorda o ator, que aprendeu com o pai a tocar acordeom. Entre suas inspirações, ele enumera nomes de outras gerações. “Adoro Laura Cardoso que continua atuando lindamente, Paulo José com toda a sua vitalidade e, entre os que não estão mais conosco, o mestre Gianfrancesco Guarnieri”.

Além da atuação, sua outra paixão é a capoeira, que pratica há mais de vinte anos. “Tenho forte envolvimento com a expressão corporal. A capoeira é uma arte fantástica, me ensinou a ter disposição para encarar o improviso. Você nunca sabe o que vai encarar pela frente em uma roda, como na profissão, na vida... A gente segue com humildade e coragem”, analisa ele, que tem o apelido Tocha no esporte.

Entre os desafios que o motivam como profissional, ele afirma que pretende levar adiante alguns projetos autorais. “Estou sempre buscando novos caminhos. Tenho um lado próprio, só meu, que é gostar de escrever minhas próprias peças. Nas horas vagas, eu foco nisso”, diz, em constante animação.

Entre em Contato

Marcos Reis

Currículo

QUALIFICAÇÕES

É formado em Artes Cênicas pela ESCOLA LIVRE DE TEATRO – INTERPRETAÇÂO, onde fundou o grupo: “TEATRO DA TERRA”. Começou a atuar profissionalmente em 2005.

 

PRÊMIOS

Prêmio de Melhor Ator no Festival Sumaré - São Paulo no ano de 2010, com a peça teatral, “Curral”, Inspirada na Obra “Asfalto Selvagem”, de Nelson Rodrigues.

 

TELEVISÃO

2019 - RIO HEROES - FOX (Produtora Mixer) – 2ª TEMPORADA

Autor: Camila Raffanti e Fábio Danesi

Diretor: Pablo Uranga

Personagem: Túlio

2017 - RIO HEROES - FOX (Produtora Mixer) – 1ª TEMPORADA

Autor: Camila Raffanti e Fábio Danesi

Diretor: Pablo Uranga

Personagem: Túlio

2016 - A TERRA PROMETIDA – TV Record

Autor: Renato Modesto
Direção: Alexandre Avancini
Personagem: Kadmo

2015 – ALTO ASTRAL - TV GLOBO

Autor: Daniel Ortiz
Direção: Jorge Fernando
Personagem: Léo

2014 – SANTO FORTE - AXN (Produtora Moonshot)

Autor: Marc Bechar e Rene Belmonte
Diretor: Roberto D’Avila
Personagem: Beto

2011 – NA FAMA E NA LAMA - MULTISHOW (Produtora Movie&Art)

Autor: Clay Lins
Direção: Homero Olivetto e Joana Prado
Personagem: Léo

 

CINEMA

LONGA – METRAGEM

2014 - A PERCEPÇÃO

Autor: Sandro Olivieri
Diretor: Mário Neto
Personagem: Anthony

 

MÉDIA – METRAGEM

2018 - RENASCIDOS – NOVO CORAÇÃO

Roteiro: Luciana Costa
Direção: Jefferson Nali

Personagem: Tony

 

CURTA – METRAGEM

2017 - NÃO ME DEIXE AQUI SOZINHA

Roteiro e Direção: Marcoz Gomez
Personagem: Raul

 

 

TEATRO

2017 - A CABALA DO DINHEIRO

Inspirada na Obra de Nilton Bonder
Autor: Marcos Reis, Clarice Niskier e Letícia Tomazella
Direção: Clarice Niskier

2015/2016 - AS PALAVRAS DA CHUVA (Fala Comigo Doce Como A Chuva)

Autor: Tennessee Williams
Direção: Léo Medeiros
Personagem: Homem

2014 - O ABAJUR LILÁS

Autor: Plínio Marcos
Direção: Bhá Prince
Personagem: Giro

2013 - MÍNIMO CONTATO

Autor: Alexandre França
Direção: Alexandre França
Personagem: O Homem

2012 - PEQUENOS HOLOCAUSTOS

Inspirado na obra de Nelson Rodrigues
Autor: Roberto Alvim
Direção: Juliana Galdino
Personagem: Homero / Arthur

2011 - SIMPLES CIDADE

Inspirado na obra de Guilherme de Almeida
Autor: Marcos Reis e Letícia Tomazella
Direção: Marcos Reis e Letícia Tomazella
Personagem: O Caminhante

2010 - O CURRAL

Inspirado na obra Asfalto Selvagem de Nelson Rodrigues
Autor: Marcos Reis, Fernando Gimenes e Aila Rodrigues
Direção: Viviane Palandi

2010 - POPOL VUH

Autor: Criação Coletiva
Direção: Rogério Toscano e Georgette Fadel

2009 - WOYZECK

Autor: Georg Büchner
Direção: Rogério Toscano
Personagem: Woyzeck

2008 - COMO CONTAR CARNEIRINHOS

Autor: Criação Coletiva
Direção: Rogério Toscano

2006 - DOIS PERDIDOS NUMA NOITE SUJA

Autor: Plínio Marcos
Direção: Cacá Corrêa
Personagem: Tonho

2005 - O DESPERTAR DA PRIMAVERA

Autor: Franklin Wedekind
Direção: Cacá Corrêa
Personagem: Melchior