Uma visita ao Tablado, aos 17 anos, foi o suficiente para mudar a vida de Dani Ornellas. No momento em que se deparou com a arte e conheceu Maria Clara Machado, nasceu o desejo de transformar aquela paixão em uma forma de vida." Fui imediatamente tomada por um desejo que era maior que eu. Não conseguia pensar em outra coisa se não em fazer parte daquilo tudo, ser atriz. Tive certeza que eu poderia fazer outras coisa mas a felicidade seria incompleta", lembra.  Mesmo sabendo que teria que enfrentar dificuldades e com pouco apoio da família - até pela instabilidade da profissão - ela arregaçou as mangas e seguiu em frente. Fez questão de estudar, se aprimorar, e continua fazendo isso até hoje. "Quanto mais eu aprendo, mais vejo que tenho muito a aprender", afirma. Sua estreia aconteceu em grande estilo: através de uma montagem de "Ópera do Malandro", sob a supervisão da própria Maria Clara Machado. A partir daí, mais peças, prêmios no cinema e trabalhos na televisão continuam realizando o sonho dessa carioca que, ávida por conhecimento, também se formou em Turismo e realizou cursos livres na área de Gastronomia.

No cinema, foi premiada por sua atuação logo em seu primeiro trabalho. "Cruz e Souza, o Poeta do Desterro" rendeu a Dani Ornellas o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cinema Negro de São Paulo, em 2005. Sua participação em "Filhas do Vento", de Joel Zito, também foi responsável pelos prêmios no Festival de Cinema Negro de São Paulo e no Festival de Cinema de Macapá, ambos em 2005. Neste último, ela fez parte do que considerou  maior elenco negro da história do cinema  brasileiro. Mas, foi em "Cidade de Deus" que ela acabou ficando conhecida do grande público. "Foi minha segunda experiência no cinema e meu primeiro encontro com Paulo Lins. Fiz um teste para uma personagem, mas acabei interpretando outra. A verdade é que, graças a essa mudança de personagem, ganhei as cenas que mais amei fazer no cinema", completa.

Na televisão, seu primeiro trabalho foi na novela 'A Padroeira'. Depois, participou de séries como 'Força Tarefa', 'Cidade dos Homens' e 'Tecendo o Saber'. A lista de novelas também inclui o sucesso "Duas Caras", de Aguinaldo Silva, e a co-produção Brasil-Portugal "Paixões Proibidas". No Canal Futura, ela apresentou o programa "Nota Dez. A Cor da Cultura" e a série "Família Imperial". Mas, a exemplo do que aconteceu no cinema foi sua participação em "Suburbia" que acabou ficando conhecida do grande público e foi levada ao patamar das atrizes negras mais bonitas da atualidade. "Foi a maior e melhor oportunidade para mostrar meu trabalho como atriz. Considero a série como um lançamento", finalizou.

Entre em Contato

Vanessa Machado

Currículo

FORMAÇÃO

Iniciou no Tablado com “Ópera do Malandro” supervisão de Maria Clara Machado”

 

PRÊMIOS

Melhor atriz, Festival de Cinema de Macapá/BR-2005 com “Filhas do Vento”. Por sua atuação nos Filmes:” Filhas do Vento” e “Cruz e Sousa, o Poeta do Desterro”, Festival Internacional do Cinema Negro de São Paulo/BR-2005

 

TELEVISÃO

2016 - LIBERDADE, LIBERDADE

Autores: Márcia Prates e Mário Teixeira
Diretor: Vinicius Coimbra
Personagem: Jacinta

2015 - I LOVE PARAISÓPOLIS - TV Globo

Autor: Alcides Nogueira e Mário Teixeira
Diretor: Wolf Maya
Personagem: Deodora

2015 - QUESTÃO DE FAMÍLIA - GNT

Autor: Rodrigo Lages
Diretor: Sergio Rezende
Personagem: Rose

2014 – MEU PEDACINHO DE CHÃO – TV Globo

Autor: Benedito Ruy Barbosa
Direção: Luis Fernando Carvalho
Personagem: Amância

2012 - SÉRIE FAMÍLIA IMPERIAL – TV Globo

Diretor: Cao Hamburguer

2012 – SUBURBIA – TV Globo

Diretor: Luiz Fernando Carvalho

2009 – FORÇA TAREFA – TV Globo

Diretor: José Alvarenga

2008 – DUAS CARAS – TV Globo

Diretor: Wolf Maya

2004 – CIDADE DOS HOMENS – TV Globo

Diretora: Regina Casé

2001 – A PADROEIRA – TV Globo

Diretor:Roberto Talma

2007 – PAIXÕES PROIBIDAS - Band

Diretor: Inácio Coqueiro

 

TEATRO

2016 - VIL

Autor: Livre Dramaturgia a partir da peça homônima de Rodrigo de Roure

Direção: Renato Carrera

Personagem: Viola e Delegada

2015 – PORTO DE MEMÓRIAS - O TRIUNFO DE LEOLPODINA

Autor: Alexei Waichenberg, Maria Nattari e Regina Miranda
Direção: Regina Miranda
Personagem: Monumento Escravo

2014 – VESTIDO DE NOIVA

Autor: Nelson Rodrigues
Direção: Renato Carrera
Personagem: Mulher inatual, Carpideirda e Mãe

2013 - A PROPÓSITO DE SENHORITA JULIA

Autor: Strindberg.
Adaptação de José Almino e Walter Lima Jr.
Direção: Walter Lima Jr
Personagem: Cristiane

2013 – HISTÓRIAS DE JILÚ

Autor: Rodrigo de Roure
Direção: Renato Carrera
Personagem: Jilú

2009/2010 – MORTE SOBRE A LAMA

Direção: Ricardo Torres

2003 – NUNCA PENSEI QUE IA VER ESSE DIA

Direção: Luiz Antônio Pilar

2001 – MITOLOGIA DOS DEUSES AFRICANOS

Direção: Aduni Benton

1997 - TUTY

Direção: Cirano Rosale,

1996 - A ÓPERA DO MALANDRO

Direção: Thais Balloni

 

CINEMA

2016 - SIMONAL

Direção: Leonardo Domingues
Personagem: Maria

2008 - O INVENTOR DE SONHOS

Direção: Ricardo Nauemberg

2008 – CORES E BOTA

Direção: Juliana Vicente

2007 - METEORO

Direção: Diego de La Teixeira

2006 - MÃOS NEGRAS

Direção: Daniel Caetano

2005 – FILHAS DO VENTO

Direção: Joel Zito

2005 – QUASE DA FAMÍLIA

Direção: Adriano Lírio

2005 - ALGUÉM FALOU EM RACISMO

Direção: Claudius Cecon

2003 - O CHEIRO DA FEIJOADA

Direção: Iléa Ferraz

2002 - CIDADE DE DEUS

Direção: Fernando Meirelles

2002 – CRUZ E SOUZA, O POETA DO DESTERRO

Direção: Sylvio Back